quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Potência de voo


"Moneyball" é muito bom, interessante, sabe o que quer, para onde vai, é eficaz, tem ideias, tem sobretudo a receita certa para funcionar e colher quer na crítica, quer na bilheteira. Esse equilíbrio por si só não é fácil, nem é muito comum, mas podia saber melhor. É que o filme pede um golpe de asa, um levantar de voo que o eleve a outro patamar. Bem realizado, fotografado, com excelentes actores e respectivas interpretações, não consegue ainda assim estar ao nível do argumento de Aaron Sorkin. É por ele que os diálogos trazem dinamite e carregam o filme para todo o lado, o resto fica à mercê da ilustração. Como não li o livro desconheço o peso de Michael Lewis nisto. O que sei é que seria interessante termos em "Moneyball" um cineasta a sério e não apenas um realizador bom. Querem que vos diga? Era haver o músculo de um Scorsese a acompanhar a correria desenfreada de Sorkin. Era bem capaz de dar voo ao filme.