segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

E o blogue seguirá dentro de momentos


Bem sei que já vem tarde e em más horas, mas já em casa em terras galegas quero muito agradecer a quem marcou presença e encheu a sala e me fez ficar tão contente com a minha primeira apresentação de um livro.
Um agradecimento muito especial à Elisa Costa Pinto que, com uma extraordinária apresentação, nos encheu a todos as medidas. Mais uma vez voltei a ter a grande sorte e o privilégio de poder contar com toda a sua inteligência, classe e saber. Já para não falar desse seu sexto sentido literário de grande leitora que é, e tanto nos ensina como desconcerta. Há muito da Elisa em Praia Lontano, e já vamos muito além do prefácio.
Também devo sublinhar a superior interpretação do lobo na leitura de Lobo à Colina para Alcântara por Nuno Góis- que ainda leu alguns poemas do Estrada dos Prazeres. Foi ao mesmo tempo estranho e desconcertante perceber como aquele lobo já não é meu, e que provavelmente o Nuno (já) sabe muito mais do lobo do que eu. Foi uma leitura e tanto, essa é que é essa. E é impossível não ter havido alguém que não lhe tenha sentido o toque o impacto. Uivemos a isso!
Há que destacar todo o trabalho do Rui Pereira, companheiro de armas e de guerrilla (salvo seja). De decisiva importância.Tanto em termos de labor como artisticamente. Esta é a minha segunda obra e é a segunda vez que tenho o Rui do meu lado. Para terem bem a ideia - ou, vá-lá, uma certa ideia - de todo aquele extraordinário talento, convido-os a irem à Rua Voz do Operário nº 62 para verem a magnífica exposição - Peles Vermelhas é o nome da série. Também sabemos que a coisa não acaba aqui...
Para finalizar quero estender os agradecimentos à editora Campo das Letras / letras papalelas, e à livraria Círculo das Letras, que além de servir de abrigo e ponto de venda das nossas obras, nos concedeu um extraordinário espaço para a apresentação do livro.

Não poderia pedir mais.

Bem haja a todos!
Enviar um comentário